Os cinemas brasileiros estão mais sanguinolentos com a chegada de Django Livre

FINALMENTE. Os cinemas brasileiros estão mais sanguinolentos com a chegada de Django Livre.

Django (Jamie Foxx) é um escravo liberto pelo Dr. King Schultz (Christoph Waltz), um caçador de recompensas que está a procura dos irmãos Brittle e só Django pode ajudá-lo a encontrar os três. Assim que Dr. Schultz matar os irmãos, ele libertará Django. Mas no fim das contas, os dois resolvem permanecer juntos – e então Django conta sua história de amor para seu novo amigo e os dois partem em busca de Broomhilda (Kerry Washington). No caminho, precisam negociar com Calvin Candie (Leonardo DiCaprio), dono de uma plantação de algodão que treina seus escravos para a luta e é um francófono que não fala uma palavra de francês.

Motivos para assistir? Não faltam… (por Isis Figueiredo)

5. Trilha sonora

Uma das coisas que mais gosto nos filmes do Tarantino é a trilha sonora. Nesse filme não é diferente – a escolha das músicas é sensacional! Há mistura das musiquinhas típicas de filme de faroeste com rap e hip hop de um jeito tão épico que, se você cortar a trilha sonora, muitas cenas perdem metade do efeito.

4. Bang-bang moderno

Django é uma clara homenagem aos filmes de faroeste que o Tarantino tanto ama (tem até um filme de 1966 chamado Django). Tem xerife, tem delegado, perseguições a cavalo, tiroteio e portas vai-vem, mas com um estilo exagerado que só Tarantino consegue dar. Faltam os índios, mas entra uma crítica muito boa ao período de escravidão.

3. Escravidão

Não que a escravidão seja um bom motivo. O bom motivo, na verdade, é a forma como Tarantino resolveu explorar esse lado triste da História em seu filme. Em meio ao banho de sangue, Tarantino conseguiu trazer várias críticas sobre a escravidão e como os negros sofreram com isso. Não quero falar muito para não dar spoiler, mas é tudo muito forte e bem encaixado na história. Acho que o filme, que seria apenas mais um “mocinho resgata mocinha” é na verdade sobre preconceitos.

2. Sangue e vingança

Não existe filme do Tarantino sem esses dois itens, e aqui tem de sobra. Se é sangue espirrando sem parar a trinta centímetros de distância que você quer, é isso que você vai ter. Se é um personagem se vingando de quem fez mal para ele, você também tem. Um prato cheio dos dois!

1. Tarantino

É filme do Tarantino, oras. Você não precisa de muita coisa para sair de casa agora e assistir. Anda! Você ainda está lendo esse post ao invés de ir pro cinema?

Matéria completa: (http://www.literalmentefalando.com.br/2013/01/cinco-motivos-para-assistir-django-livre.html)

Anúncios

4 opiniões sobre “Os cinemas brasileiros estão mais sanguinolentos com a chegada de Django Livre”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s