Arquivo da tag: dicas

Charlie Brown Jr

#INDIETRACKER 17

Ela passa na caranga ouvindo o som da minha banda, com olhar de veneno não é mais criança, ela é muito gostosa e usa roupa colada, completamente pronta ela é a melhor da parada. O doce dela é bala e ela vai na rafe, eu vou colar com ela, ela me deixa crazy, eu vou leva-la onde ela nunca esteve, eu vou chegar com ela na pegada. Rock Star!

alexandre_abrao

Em outubro foi lançado o clipe oficial (o que acabamos de mostrar é apenas um compilado de cenas eróticas com dançarinas em um strip club, mas que conseguiu se sair melhor do que o próprio clipe oficial) da música Rock Star e o som não para de tocar nas rádios. Da extinta banda Charlie Brown Jr, a faixa integra o disco póstumo La Família 013. Com direção de Alexandre Abrão, filho do falecido vocalista Chorão, o clipe aborda o cotidiano do filho de um rockeiro que sai em turnê com o pai. O videoclipe tem a participação dos antigos integrantes da banda, Marcão Britto, Bruno Graveto e Thiago Castanho, além de Luciano Amaral (ex-Castelo Rá-Tim-Bum e hoje apresentador), Clara Aguilar (ex-Big Brother Brasil) e a modelo e apresentadora Fiorella Mattheis.

O resultado, é uma combinação patética de boa música e cenas de malharão em um clipe infanto-juvenil de baixa qualidade.

Gosto mais dos clipes antigos da banda, bem no começo com “Hoje eu acordei feliz”, talvez tenha sido o primeiro som de bom qualidade que eu comecei a ouvir, o clipe meio trash que fazia lembrar os bons momentos de Tarantino em Reservoir Dogs e Pulp Fiction ou até mesmo Guy Ritch em Snatch/Porcos e Diamantes.

Anúncios

Vicky Cristina Barcelona (Woody Allen – 2008)

Tenho três hábitos: Primeiro, sou alucinado por Woody Allen, um comediantes de muito talento, sua capacidade de fazer os atores no qual dirige a ganhar um Óscar é inversamente proporcional a sua própria habilidade de conquistar um. Talvez este nunca tenha sido seu objetivo. Talvez nem na premiação estivesse caso ganhasse. Adoro a frase que li em um de seus livros: “Caso de Shakespeare não tivesse ido a estréia de Hamlet, isto teria alterado a qualidade de sua obra?”.

Segundo, filmes de meia época, outra paixão. Nem tão antigos nem tão novos, filmes da década de 90 são meus favoritos, as vezes anos 2000 ou anos 80 quem sabe.

Terceiro e talvez mais estranho hábito: Assistir os filmes por partes. Começo normalmente na segunda feira, mais um pouco terça.. (pausa quarta feira para o futebol) e acabo na quinta. Ver os filmes dessa forma talvez quebre um pouco o ritmo, mas é a solução que encontrei ao longo da semana para ver os filmes que ainda quero ver mas não tenho tempo. Por outro lado é bom, me permite sonhar com o filmes e imaginar histórias alternativas para o seu próprio final, costumo contar para alguns amigos que estou assistindo ao filme. Eles nunca entendem a parte de “estou assistindo”.

vicky_cristina_bacelonaPois bem, Vicky (Rebecca Hall) e Cristina (Scarlett Johansson) são tão encantadoras que não resisti e  (como se fosse um problema) assisti ao filme inteiro de uma tacada só.Penélope Cruz não é uma atriz que me seduz, mas como María Elena ela está fantástica… Seu papel de esquizofrênica sedutora, até lembra a de uma certa garota que me apaixonei um tempo atrás, mas é o puro retrato do diretor. Javir Bardem como Don Jon é o típico personagem redondo, você não sabe se gosta ou não. Segue o traileir:

INDIETRACKER 14 – Tópaz

#INDIETRACKER 14

Um grande som, meio antigo… mas é exatamente o começo das bandas que me mais me chama a atenção. Ingênuo e simpático, o estilo musical da banda conquista fácil e chama a atenção pelo humor da letra. O Cris, vocalista da banda sofreu um acidente na noite do domingo passado. Força e saúde Cris!

Alguma dica para o próximo Indietracker? Manda nos comentários!!

11 DICAS DE DESIGN PARA FAZER BOAS APRESENTAÇÕES

Então, o que diferencia uma boa apresentação de uma ruim? Conteúdo e design. Enquanto o seu discurso pode ser perfeito, as imagens que mostram podem acrescentar muito ou desvirtuar completamente a sua mensagem. Se você estiver usando o PowerPoint, Keynote ou o bom e velho PDF, estas 11 dicas vão ajudá-lo a criar bons projetos de apresentação e efetivamente defender o seu ponto de vista.

1) Fuja do template pronto

powerpoint_good_bad101-816x300

Usar temas de slides incluídos no próprio programa é a morte prematura de sua apresentação. Estes são demasiadamente chatos, repetitivos e geralmente muito feios. Crie apresentações mais limpas, começando com uma apresentação limpa e com significado.

2) Não use mais do que 6 linhas de texto

powerpoint_good_bad1-816x300

Colocar muita informação em um slide irá minar completamente a sua finalidade. Lembre-se: O público muitas vezes tem de processar tudo o que você diz, enquanto eles vêem o slide.

3) Acabe com os pontos chave

powerpoint_good_bad21-816x300

Muitas apresentações são repletas de ponto chave. Ninguém vai se lembrar de 10 pontos chave, mas eles vão se lembrar de 10 slides atraentes. Use cada slide para construir o seu caso e de forma incremental contar a sua história. Considere os slides como um pequeno esboço do que está dizendo. Tente compartilhar apenas uma ou duas ideias por slide.

4) Use a fonte correta: Sem Serifa

powerpoint_good_bad31-816x300

Usando princípios básico de tipografia, opte sempre pela legibilidade em relação a diversão. Em todos casos, você até pode usar uma fonte mais descolada para o título do slide, mas de jeito nenhum no corpo do texto. Uma dica fácil, procure sempre por fontes limpas traditional typefaces como Helvetica ou Calibri. Se for usar um fundo escuro, preferencia para as tontos com boas apresentações em negrito para facilitar a leitura.

5) Proporção adequada para as fontes

powerpoint_good_bad41-816x300

Provavelmente, você está projetando sua apresentação em um computador portátil e é um tamanho muito diferente do que a tela final da apresentação. Ao dimensionar suas fontes, tenha em mente que o texto deve ser grande o suficiente para ser lido pela pessoa no fundo da sala.

6) Mantenha um perfeito contraste entre o texto e o plano de fundo

powerpoint_good_bad51-816x300

Para que sua mensagem seja exibida, é necessário um alto nível de contraste entre o texto e o fundo. Se sua imagem de fundo apresenta uma grande variação, partes do seu texto podem não ficar legíveis. Nesse caso, uma elegante barra de cor translúcida por trás do texto pode trazer de volta a legibilidade.

7) Não use mais do que 5 cores

powerpoint_good_bad61-816x300

Uma paleta harmoniosa pode facilmente melhorar a aparência de toda a sua apresentação. Não há necessidade de gradientes complexos ou texturas aqui ou ali, você pode obter excelentes resultados com apenas as cores certas. Use uma ferramenta como o Adobe’s Kuler ou deixe um site como o COLOURLovers fazer uma boa seleção.

8) Use cores contrastantes no texto para chamar a atenção

powerpoint_good_bad71-816x300

É como negrito e itálico, mas melhor. Use uma única cor na sua paleta selecionada para enfatizar pontos importantes em seu texto. No entanto, certifique-se de não exagerar.

9) Trabalhe com apenas uma imagem por slide

powerpoint_good_bad81-816x300

Imagens podem ajudar a sua apresentação a se tornar mais visual, mas não se empolgue demais em um único slide. É uma apresentação, não um álbum de fotos. Limite seus projetos a uma única imagem com um simples texto, ou nenhum texto.

10) Explore efeitos visuais para estimular o apelo emocional

powerpoint_good_badvisuals-816x300

Efeitos visuais, como fotos ou gráficos, podem ajuda-lo na hora de mandar a sua menssagem. Se bem trabalhado, aumentam a compreensão, retenção e produzem uma resposta emocional que aumenta o impacto. Use recursos visuais poderosos para defender o seu ponto de vista.

11) Você não precisa de efeitos de transição entre os slides

Atualmente existem diversos softwares para construir apresentações repletos de efeitos e movimentos, mas a maioria das apresentações de qualidade dispensa qualquer tipo de transição. Elas funcionaram apenas como distração do ponto principal de seu trabalho.

No final das contas, independente do conteúdo de sua apresentação, tenha certeza que estará usando do design de seus slides para obter a maior vantagem possível na hora de defender o seu ponto de vista.

A versão original deste artigo você pode encontrar em Visage.co:

INDIETRACKER 13 – NEEDTOBREATHE – “Multiplied”

#INDIETRACKER 13

Sabe aquela sensação de ouvir um country limpinho, sem chiadeira nem gritos? é mais ou menos isso com NEEDTOBREATHE. Com origem no sul da Califórnia, o trio liderado por Bear Rinehart lançou seu primeiro álbum em 2006 e apresenta um material totalmente renovado agora em 2014, vale a pena dar uma olhada, a produção dos clipes é super trabalhada o que torna o som ainda mais interessante.

Alguma dica para o próximo Indietracker? Manda nos comentários!!

Arctic Monkeys – Why’d You Only Call Me When You’re High?

#INDIETRACKER 12

whyd-you-only-call-me-when-youre-high-1

Arctic Monkeys – Why’d You Only Call Me When You’re High?

Ok, falar de AM já não é mais nenhuma novidade por aqui, mas o novo clipe está demais e vale a pena sentar o bumbum para ver a performance de Alex Turner.

Reservoir Dogs – Cães de Aluguel

Você provavelmente me viu falar uma ou duas vezes sobre os filmes de Quentin Tarantino… Mas este é o meu favorito, o filme gravado em 1992 com um orçamento de 1.5 milhão de dólares, Cães de Aluguel, marca o início da carreira brilhante do diretor.

Com um orçamento limitado, cortes e contribuições foram necessárias. Diversos atores usaram suas roupas pessoais em cena. O terno que Harvey Keitel usou no filme era dele mesmo, assim como o casaco esportivo que era do próprio ator Chris Penn. Steve Buscemi também usou seu próprio par de jeans nas cenas, ao invés de uma calça de terno. E a ajuda não parou por aí! O Cadillac de Mr. Blonde também era do ator Michael Madsen, já que a verba era pequena para comprar um carro para o personagem. Eles também não contrataram ajudantes de tráfego durantes as cenas no trânsito e Robert Kurtzman fez os efeitos de maquiagem de graça para Tarantino com uma condição: Quentin Tarantino escreveria o roteiro de “Um Drink no Inferno” (1996), filme baseado em uma história de Kurtzman. Como é bom ter amigos!

reservoir-dogs-1992--01

E obviamente, como em todo os filmes de Quentin, o cuidado com a trilha sonora é fantástico.. Escuta só essa música do Stealers Wheel, Stuck In The Middle With You que encabeça o longa.

Se nos EUA o filme quase não teve divulgação e não chegou a fazer uma estrondosa bilheteria, na Inglaterra a produção foi um sucesso. Sucesso a ponto de Quentin Tarantino não conseguir caminhar pelas ruas de Londres sem ser abordado na época. Muitos cineastas ingleses se dizem influenciados pela obra até hoje.

The Naked And Famous – Hearts Like Ours

#INDIETRACKER 11

The+Naked+and+Famous
Algumas das melhores bandas podem ser encontradas facilmente na trilha sonora da franquia de jogos FIFA. Desde 1998 a série tem exibido um material de altíssima qualidade para compor seus jogos, e nos últimos três anos já é a segunda vez que a banda The Naked And Famous exibe seu trabalho.

Se você já ouviu a primeira música, tenho certeza que vai lembrar da segunda (fifa 12) Punching In a Dream:

Alguma dica para a trilha sonora do FIFA15? Manda aí nos comentários!!

BONAPARTE – QUARANTINE

#INDIETRACKER 8

BONAPARTE – QUARANTINE

It’s the sequel of the sequel of the sequel
Impress people you don’t like
Spending money you don’t have

É a continuação da sequela da sequela
Impressionar as pessoas que você não gosta
Gastar dinheiro que você não tem

As vezes é melhor deixar que a letra da música conte a sua própria história, neste caso não acrescentarei muitas palavras ao som misturado de rock com eletrônico de Bonaparte, banda dirigida pelo compositor suíço Tobias Jundt.

E você gostou? Se achou maluco demais (então acesse outro site) Mas antes deixe um comentário

Psycho Killer – Talking Heads (1977)

#INDIETRACKER 7

Psycho Killer – Talking Heads (1977) Tudo bem, eu confesso que não sabia que essa música era tão antiga assim… Lançada pela banda norte americana Talking Heads no final da década de 70, o hit é sucesso em qualquer festa hoje me dia. Uma boa definição dada a música após sua gravação veio através do crítico musical Bill Janovitz, que disse: “De alguma forma, David Byrne ficou assustadoramente convincente fazendo o papel de um estranho perturbado. A narrativa de Byrne entoa sinistros avisos, acompanhados por um ritmo insistente e uma memorável linha de contra-baixo por Tina Weymouth.” Os caras são bons, confere aí a versão original tocada ao vivo em ’78 um ano após o seu lançamento…

Ah, e outra que eu aposto que você não sabia, algumas partes são cantadas em francês. A frase “Qu’est-ce que c’est?” significa “O que é isso?” e a parte do “Fa Fa Fa Fa” vêm da música “Fa-Fa-Fa-Fa-Fa (Sad Song)”, do cantor de soul Otis Redding. Muito melhor do que qualquer versão atual, seja ela um remix barato ou tocada por uma orquestra de Ukulele.

E você, prefere qual versão? Deixe um comentário.